segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Libertadores IV: O Nordeste na América!


Na série de postagens sobre a Libertadores, chegamos ao penúltimo time brasileiro que estará no principal torneio da América do Sul neste ano. O Sport Clube do Recife chega apenas pela segunda vez a Libertadores, e tenta surpreender.

Em 1988, por ter sido o atual campeão reconhecido pela CBF do Campeonato Brasileiro(apesar do Flamengo também se considerar campeão de 1987), disputou sua primeira Libertadores, tendo como companhia brasileira o Guarani. Na ocasião, o time pernambucano não passou da primeira fase do torneio.

Elenco:

A equipe buscou manter os principais jogadores que deram o título da Copa do Brasil ao time no ano passado. No gol, Magrão(foto) continua sendo o ponto de equilíbrio do time da Ilha do Retiro. Suas defesas garantiram o segundo título nacional da história do clube no ano passado e, apesar das propostas, continuam a serviço do time pernambucano neste ano.




Nas laterais o clube teve algumas baixas, principalmente na direita, onde Luizinho Netto e Diogo deixaram o clube. O ponto forte da beirada do campo está realmente no lado esquerdo, onde o experiente Dutra(foto) é o responsável pelas principais investidas ao ataque do Sport. No lado direito, o técnico Nelsinho Batista deve improvisar na maioria dos jogos, ou quem sabe, tentar lançar o experiente Paulo Baier por ali.




Na zaga, o trio formado por Igor, César e Durval(foto), que transmite muita segurança ao torcedor e a comissão técnica no Campeonato Pernambucano, pretende repetir as mesmas boas atuações na Libertadores. Tarefa nada fácil. Exista ainda a possibilidade do time jogar no esquema 4-4-2, com isso, os titulares provavelmente seriam Igor e o zagueiro artilheiro Durval(foto), que costuma marcar várias vezes em suas investidas no ataque.




O meio de campo recebeu o reforço de Paulo Baier(foto), que depois de várias temporadas de sucesso pelo Goiás, preferiu jogar no time pernambucano, recusando inclusive uma proposta do Grêmio, que também disputa a Libertadores. Além dele, que deve auxiliar na armação de jogadas, Sandro Goiano e Daniel devem garantir a segurança da zaga do Leão. Para a armação, além de Baier, Luciano Henrique e Fumagalli terão a responsabilidade de municiar o ataque.


No ataque, com as perdas de Carlinhos Bala e Roger, o setor ficou mais enfraquecido neste ano. Porém, as esperanças estão depositadas em Weldon(foto), jogador experiente que tem passagem pelo Cruzeiro. Para fazer companhia a ele, o ex-corintiano Wilson é um nome que agrada ao técnico Nelsinho Baptista.

Grupo:

O sorteio dos grupos da Libertadores não foi nada generoso com o Sport. Em sua segunda participação na Libertadores, o clube caiu num dos grupos mais complicados do torneio e terá como adversários o tradicional Colo Colo, do Chile; a atual campeã do torneio, a Liga Deportiva Universitária, do Equador; além do Palmeiras, que eliminou o Real Potosí, da Bolívia, na Pré-Libertadores. Mais do que nunca, a Ilha do Retiro terá de ser um caldeirão nesta Libertadores.

História:

Como a história do Sport na Libertadores é curta, vamos relembrar o título nacional mais recente do time pernambucano, que inclusive credenciou a equipe para o torneio continental. Com narração de Cleber Machado, o Sport Fe o que parecia impossível, reverteu a vantagem de 3 a 1 do Corinthians no primeiro jogo, e venceu por 2 a 0 na Ilha do Retiro, selando o título e a classificação para a Libertadores. Festa do Leão!

2 comentários:

Blog do Cláudio Henrique disse...

Acredito que o sport repete a sina de clubes como Santo André e Paysandu: nao passarao da primeira fase. Nao pelo grupo dificil, mas pela insuficiencia técnica, onde nao tem jogadores que desiquilibram. Fera sua postagem, abraços.

Clemerson Mendes disse...

Discordo veementemente do amigo Cláudio Henrique, é uma blasfêmia comparar o Sport com Sto André e Paysandu.

O Leão é um dos grandes do futebol brasileiro. Estou acreditando na classificação, ainda vejo o Palmeiras como principal força nesta chave, e então, porque não, o time pernambucano não beliscar essa vaga do atual campeão da Libertadores? Afinal a LDU não é mais a mesma.

E o Colo-Colo? Ahh essa não cola né.