domingo, 15 de fevereiro de 2009

Libertadores V: É Tetra! É Tetra!??



Pra terminar as postagens sobre os brasileiros na Libertadores, vamos para o mais internacional de todos eles: o São Paulo Futebol Clube, maior campeão brasileiro da competição.

Ao todo são 3 títulos, os primeiros conquistados em 92/93, com o time liderado por Raí, contra Newell´s Old Boys e Universidad Católica. 12 anos depois, o clube voltou a conquistar a competição em 2005, desta vez com um time homogêneo, liderado pelo goleiro Rogério Ceni, contra o Atlético PR.

Atual tri-campeão brasileiro, o São Paulo espera em 2009 voltar a conquistar o seu torneio preferido e atualizar mais uma vez sua camisa de alusão aos títulos, que já está nos 6-3-3.

Elenco:

No gol, dispensando qualquer tipo de apresentação e comentário, Rogério Ceni(foto) continua soberano na posição e como principal ídolo do clube nos últimos tempos. Depois de erguer os troféus de dois Paulistas, três Brasileiros, uma Libertadores e um Mundial como capitão, em 2009 espera repetir esse gesto mais uma vez no torneio continental.





Nas laterais, mesmo com jogadores que não deram tão certo nos últimos anos, o São Paulo faturou mais um Brasileiro, e para 2009 se reforçou. Chegaram, para a direita Wagner Diniz, que deixou a série B no Vasco pra jogar a Libertadores, e na esquerda, chegou Júnior César(foto), que ano passado bateu na trave com o Fluminense. Porém, os dois terão de desbancar Zé Luís e Jorge Wagner, que mesmo improvisados, são quase unanimidade entre a comissão técnica.




Na zaga, o trio que tanto deu segurança ao clube no ano passado continua: Miranda, André Dias e Rodrigo(foto) ainda ganharam o reforço de Renato Silva, destaque do Botafogo. Devido a confiança nos jogadores, Muricy Ramalho deve manter o 3-5-2, que é quase lei no clube depois do título da Libertadores em 2005.


Para o meio-campo, o São Paulo tentou buscar um camisa 10 de todas as formas, mas o principal número do clube acabou ficando com um velho conhecido da torcida, Hernanes(foto – de ponta cabeça). Aliás, o garoto vem se firmando como principal destaque do futebol brasileiro no momento, a ponto de deixar os reforços Eduardo Costa e Arouca esquentando o banco de reservas. Além dele, o setor contra também com Richarlysson, polivalente que as vezes também atua na zaga e na lateral, e Hugo, que com vários gols no ano passado, acabou sendo uma das figuras de maior destaque no título brasileiro.


Para o ataque, Borges, artilheiro da temporada passada, ganhou a companhia de Washington, artilheiro do Brasileirão do ano passado, que em 2008 foi vice-campeão da Libertadores pelo Fluminense. Além deles, Dagoberto também sempre ganha suas chances no time titular. O time ainda conta com André Lima, que depois de chegar como “solução”, por enquanto só decepcionou no São Paulo.

Grupo:

Ao contrário dos últimos anos, o São Paulo encontrará pedreiras a partir da próxima quarta-feira, logo na primeira fase da Libertadores. O perigoso Independiente de Medellín e o sempre forte América de Cali, os dois da Colômbia, e o uruguaio Defensor. Sem dúvida, o São Paulo, que disputa seguidamente a competição desde 2004, caiu no grupo mais difícil dos últimos anos.

História:

Para uma grande história, uma grande retrospectiva. Depois de quebrar a cabeça tentando escolher um momento emocionante do São Paulo na Libertadores pra colocar aqui pra vocês, resolvi juntar todos eles numa postagem só. Portanto, sessão nostalgia tricolor no ar.

Pra começar, um vídeo SENSACIONAL! Emocionante!!! Invasão de campo histórica da torcida do São Paulo na final de 1992. Aliás, o momento de felicidade do futebol, e me refiro a títulos e gols, não deveria ser tão restrito como é hoje. Tem que extravasar meeeesmo! Zetti pega o último pênalty contra o Newell´s Old Boys, e o São Paulo é pela primeira vez campão da Libertadores. De quebra uma raridade!!! Galvão Bueno na TV Gazeta(antiga Rede OM) com comentários dele, Roberto Avallone, o sobrinho da tia Dora!

Depois do título em 1992, em 1993 o São Paulo chegou mais uma vez na final da Libertadores, e Luciano do Valle traz os melhores momentos do primeiro jogo da final contra o Universidad Católica, do Chile. Chocolate! 5 a 1!

E com um 5 a 1 no primeiro jogo, pra que ganhar o segundo?? Esse também é raridade, chamada da Globo pra decisão no Chile, e logo depois, Cléber Machado e o Glob Esporte mostra a festa do torcedor pelas ruas e no aeroporto, o São Paulo era Bi.

E finalmente chegamos a 2005. Essa está mais nova na memória dos torcedores. 4 a 0 no Atlético PR no Morumbi, e o Tri garantido! Imagens da SporTV 2!

Um comentário:

Clemerson Mendes disse...

Que o elenco Tricolor para 2009 é muito mais forte isso não se contesta. Mas a questão é, até que ponto os titularíssimos em outras equipes, ou algum tri campeão se contentará com a reserva?

Uma bela dor de cabeça para Muricy, e na minha opinião o São Paulo é um dos grandes candidatos ao titulo.